Canal de Advogado Douradense chega a live de nº 50 com debate sobre Fundamentação das Decisões Judiciais

Na última quinta-feira (25) o canal Sapere Aude do Advogado douradense e Conselheiro Federal da OAB Wander Medeiros chegou a marca das 50 lives. O projeto teve início em março, com objetivo de levar conhecimento para Advocacia e sociedade em geral, que devido ao isolamento social, estão impossibilitados de participar de eventos presenciais.

O idealizador e criador do canal (Sapere Aude) comemora o sucesso das lives. “São debates abertos com toda comunidade jurídica e a sociedade para aproveitarmos nosso tempo e nos dedicarmos ao aprendizado e crescimento mútuo, até porque é no espaço da convivência humana e no compartilhar das experiências, sonhos e ideais, que verdadeiramente encontramos sentido para nossas existências, e sempre buscando, é claro, termos a coragem de pensarmos segundo nosso próprio entendimento”, destacou Wander Medeiros.

Na live de nº 50, Wander debateu sobre Fundamentação das Decisões Judiciais com dois grandes profissionais que atuam no Direito Processual Civil: Luis Rodrigues Wambier; Advogado com intensa atuação no Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal, Sócio do Escritório Wambier, Yamasaki, Bevervanço & Lobo Advogados, Professor no Programa de Mestrado e Doutorado em Direito do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), Doutor em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e Alexandre Mantovani; Advogado, Professor Mestre em Processo Civil, Presidente da OAB 4ª Subseção Dourados e Itaporã, Ex-Conselheiro Federal e Ex-Presidente da Comissão Nacional da Jovem Advocacia do CFOAB.

Durante a live os profissionais destacaram a importância da fundamentação da sentença, em especial focando o que diz o Novo Código de Processo Civil quanto a postura do Juíz. Os convidados destacaram no debate que o principal objetivo da decisão é atingir um desfecho correto, técnico e justo, no qual às partes, vencedoras ou vencidas, conheçam todas as razões e fundamentos que levaram aquela sentença.

“O Novo CPC prevê que não se considera fundamentada qualquer decisão judicial, seja ela interlocutória, sentença ou acórdão, sem que o juiz explique a motivação da decisão”, explicou Mantovani. “O ideal seria que qualquer uma das partes e não somente o Advogado, lessem a sentença e entendessem o porquê daquela decisão”, destacou Wambier. Veja a live completa no vídeo abaixo:

Comentários
Carregando...